quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

2015 - O que teve?


Uma das coisas que eu mais tenho achado graça ultimamente são os memes que estão por toda parte e que alegam que 2015 foi um ano muito ruim, um ano muito difícil e que não veem a hora do ano acabar. Olha, 2015 não foi o melhor ano da minha vida, mas sem dúvida foi um ano em que tive muitas experiências - algumas boas, algumas ruins, mas muitas experiências. 

Parte disso foi um desejo que tive de botar a cara no sol e fazer tudo o que tinha vontade, de ter momentos para relembrar depois. Por mais que algumas coisas não tenham saído como planejado, o importante foi a forma como eu encarei cada momento vivido. Então considero que 2015 foi um ano muito bom, no qual tudo o que aconteceu de ruim não foi muito relevante.

Posto isso, decidi mostrar para vocês o que teve de bom este ano (sim, o título é meio kibado do Morri de Sunga Branca, rs).


Teve despedida de uma grande amiga do meu serviço, que deixou um enorme buraco no nossa rotina de trabalho e nas nossas vidas.

 

Teve Juliana completando 1/4 de século.


Teve primo fofinho completando uma década.

 

Teve Juliana conhecendo cidades do próprio estado que ela nunca imaginou conhecer.


Teve madrinha de casamento.


Teve Forever 21 em territórios goianos - bem antes de muitas capitais brasileiras.


Teve amiga indo para outra cidade - mas felizmente ela já está quase voltando.


Teve colação de grau da mais nova licenciada em Letras.


Teve momentos lindos, fofos e lindos.


Teve corte de cabelo realmente significativo, não só 4 dedos. rs


Teve visita aos amigos especiais.
 

Teve pessoaxxx do Rio de Janeiro comendo pequi.

Teve arco-íris literário.


Teve muita gordice na Mimos de Vó.


Teve maratona literária de inverno.
 

Teve muito pé na estrada.


Teve uma série de livros que ACABOU com o meu coração. ♥


Teve Team Maxon! ♥♥♥


Teve Kombi do amor.


Teve lado negro da força.


Teve estante nova.


Teve um amontoado de gatinhos fofos.


Teve madrinha de casamento de novo.



Teve pós-graduação.


Teve muito IF Goiano.


Teve destino novo no final do ano. 


Teve coisa linda que a natureza dá pra gente.


Teve coleção aumentando.


Teve visita dos meus filhos na minha casa.


Teve também momento libertação de fim de ano.


Teve Juliana toda natalina, como sempre.



Ah, e sem falar que em 2015 foi marcado pelo retorno da July Evans e das fanfics na minha vida! Sério, não sei como pude ficar tanto tempo afastada disso (Jily é muito amor! ♥).

Ou seja, tive muito mais motivos para me alegrar em 2015 do que para ficar triste. E espero que 2016 seja ainda melhor. Na verdade, vou fazer com quem 2016 seja bem melhor, se Deus quiser.

Desejo a todos um feliz ano novo e que vocês também vivam momentos de muito amor e alegria nesse novo ciclo que se inicia.

Beijinhos! <3

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Museu da Língua Portuguesa



Acho que já deve ser do conhecimento de todos o incêndio que aconteceu ontem, dia 21 de Dezembro, no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo. Vi a notícia num post do Facebook e não quis acreditar nas imagens que estavam sendo compartilhadas. Algumas pessoas que me conhecem bem sabem que eu adoro museus e prédios históricos. Sabem também que amo São Paulo e o fato de ter me formado em Letras faz com que eu sinta um enorme carinho por aquele patrimônio cultural. Aliás, acho que não só para quem é formado em Letras, mas o museu é uma grande representação do que todos nós somos construídos: da Língua Portuguesa.

Felizmente tive a oportunidade de visitar o museu ano passado. No dia não havia nenhuma outra exposição além do acervo fixo, mas mesmo assim foi um passeio muito emocionante, principalmente na exposição sobre a História da Língua Portuguesa, que é narrada pela atriz Fernanda Montenegro, contando com a participação de outros grandes nomes nas declamações de poesias. Nesse vídeo vocês conseguem ver um pouco da exposição, mas infelizmente não tem a Praça da Língua, que é uma espécie de planetário onde versos são projetados por todos os cantos de uma sala escura, desde o chão ao teto.

No andar inferior tem a Grande Galeria, que é um corredor com um telão de 106 metros que contém também mais fatos sobre a história da nossa língua e alguns artefatos estão expostos ao lado de painéis com mais curiosidades. Ao fundo nesse andar, numa sala isolada, fica o Beco das Palavras, onde há uma mesa interativa na qual podemos brincar com a formação das palavras.

Além do acervo, o prédio é um lugar belíssimo. Não tirei muitas fotos, mas claro que queria ter alguns registros. Fiquei realmente muito pesarosa com a notícia, foi um dia de luto para a nossa cultura. E mais triste ainda saber que um bombeiro faleceu no resgate aos funcionários do museu. Espero que o local possa ser restaurado, para que mais pessoas consigam viver um pouco da emoção que senti quando estive lá.



Fotos: Eliézer Ferreira